7.3.08

a arte de viver [1]


o ideal era não precisarmos estar encalhados, enfermos, entalados, entupidos ou enraivecidos para aprender a "distinguir o que depende e o que não depende de nós"

3 comentários:

mm disse...

arte de discernir [1]

x disse...

o ideal é a estupidez ou a loucura, pois
"Só quem puder obter a estupidez
Ou a loucura pode ser feliz.
(...)
A estupidez achou sempre o que quis
Do círculo banal da sua avidez;
Nunca aos loucos o engano se desfez
Com quem um falso mundo seu condiz."
(Pessoa)

JS disse...

Mas precisamos...

É ultrapassada a tempestade dos límites extremos...das angustias maiores, das raivas não contidas, das iras flamejantes... do barco sem mar,... que conseguimos ter a serenidade da lucidez, a triste vivência do normal, a racionalidade emotiva, a autoanálise compulsiva, ...

É no "Pacífico" que enriqueço, confraternizo, serenizo, me instalo, crio portos e âncoras, diferencio, comunico, humanizo, ... encontro a agua límpida e vejo o fundo!

Mas é no "Atlântico", que descubro, conquisto, morro e volto a viver, crio temor, medo, raiva, sobrevivo, luto, mato, ..., não vejo o fundo, ...., colonizo, evangelizo ...à força, ...sou EU!