30.5.08

das frestas fazer festas

depois de aceitar as grandes infelicidades (que são sempre grandes e que continuam lá mesmo que não as aceitemos) temos que procurar as (várias) linhas de fuga que nos permitem esperanças inesperadas mas reais (existem sempre, assim acredito).

2 comentários:

x disse...

Oscar Wilde escreveu que "o segredo da vida é nunca ter uma emoção desproporcionada".
Mas como não rejubilar se para isso temos razão?
Como não nos sentirmos rasgar, se debaixo de nós fugiu o chão?
O segredo da vida não está certamente na proporção,
mas não pode ser outro senão aceitar (sem estagnar, sem resignação....)...
Porque as grandes infelicidades,
que são sempre grandes porque são as nossas,
continuam cá mesmo que não as aceitemos...
Ora, como também dizia Oscar Wilde, porque "nenhuma vida é estragada a não ser aquela cujo crescimento é impedido",
resta-nos "das frestas fazer festas",
e das festas fazer frestas pelas quais possamos partir em busca de esperanças inesperadas...
Inesperadas mas reais
pois que já a procura é, em si mesma,
a sua mais clara afirmação.

(Se acredito nisto? Tem dias!...)

Anónimo disse...

fantástico, este post!