7.8.08

"o destino é um homem que nos pinta"


E, de quatro em quatro anos, escolhemos entre Mondrian, Pollock, Monet ou Schuiten...
Em Coimbra continuaremos a tentar que o Hieronumus Bosch não saia das telas.

6 comentários:

x disse...

...e eu hoje pintava o (meu) destino de azul... e aqui e ali chamaria umas pinçeladas de Chagall...

Anónimo disse...

...com linhas e cores de ser.

Anónimo disse...

Pelos vistos continuas de férias.

cm disse...

Já se sente a falta das letras/fotos com que pintas este espaço...

Moriae disse...

pois não sou capaz de comentar ... está tudo dito :)

Moriae disse...

hummmm moderação .... não aprecio nada ...