5.2.09

amparar para não parar


pelo caminho dei-te a mão. e choveu. chove sempre. no regresso recordei os sentidos de uma escorregadia pedra molhada. e voltei para uma outra chuva, sem mão.

1 comentário:

jaime disse...

MULHER...

Que chovam pétalas azuis
E pintem um Mundo melhor
Que esvoacem pombas brancas
E decretem para sempre a Paz
Neste fragrante jardim verde
Florido de luminosa esperança
Sob o vermelho de árduas lutas
E de auroras esplendorosas