28.2.08

espionar-te-me; espionar-me-te


são 15 passos no corredor — 30 se fingir que sou outro com quem falo — e não consigo parar de perguntar-me [-lhe]: para quê este caminho tão longo se não consegui memórias para pendurar?

1 comentário:

x disse...

E ele respondeu-me(-lhe):

"Eu me conto em segredo,
em verdades ocultas
que sempre soube
mas que não podia saber.
E, neste jogo ardiloso,
vou descobrindo,
surpreso e perplexo,
aquilo que sou
mas que não podia ser.
Mas,sempre fui sem poder saber!
Eu sonho!
Um dia sonhei que era EU e quando
acordei descobri que vivia um NÃO-EU
Mas, em que enrascada danada eu me tinha metido,
Pois vivia no sonho
e sonhava na vida."
(Victor R. C. S. Dias)